Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Para a Hyundai, hidrogênio está dez anos atrás dos carros à bateria
Publicado em 29/11/2021 às 07h54
Foto Notícia
A Hyundai Motors possui um hatchback elétrico que em algumas semanas chega aos Estados Unidos. A empresa exibiu este mês em Los Angeles, uma versão ousada de um SUV de médio porte movido a bateria. No entanto, enquanto se prepara para enfrentar a Tesla em veículos elétricos, a gigante industrial coreana também tem grandes planos para tornar a energia de hidrogênio dominante -- embora seja uma opção não tão competitiva até o final da década.

Este ano a Hyundai disse que tem uma nova versão de seu sistema de energia de célula de combustível de hidrogênio para carros e caminhões que será duas vezes mais potente, 30% menor e custando a metade de sua versão atual. Ainda, a tecnologia de hidrogênio é sobre onde os veículos a bateria estavam no início da década de 2010, disse José Moñoz, diretor de operações da montadora com sede em Seul e chefe de suas operações nas Américas.

"Naquele tempo, as pessoas ainda perguntavam, ?´Isso irá acontecer? Não é verdade. Nós não temos infraestrutura. As pessoas não irão gostar.?´ Agora temos infraestrutura; a tecnologia está envolvida; as gamas estão melhores; os recursos estão ótimos. E mais importante, as pessoas que compraram um agora disseram que irão comprar outro." disse Moñoz para a Forbes. " O hidrogênio está passando por uma fase semelhante -- de introdução de uma nova tecnologia. Mas precisamos de uma melhor infraestrutura porque ainda é uma opção limitada. Entretanto, em termos de reação do consumidor, quando eles dirigem um veículo movido a hidrogênio, a experiência é muito boa."

Elon Musk descartou o hidrogênio como um combustível viável de emissão zero, ridicularizando sua ineficiência em relação às baterias e rotulando as tecnologias de "células tolas". Embora muito parecido com a sua rejeição do laser para veículos autônomos -- ou reivindicações arriscadas sobre o quão rápido Tesla poderia aperfeiçoar a tecnologia de autodireção -- a Hyundai e grandes fabricantes de automóveis e caminhões incluindo Toyota, General Motors, Daimler e Volvo, a startup Nikola e o fabricante de motores Cummins, têm uma visão mais ampla vendo as duas baterias e o hidrogênio como tecnologias necessárias para veículos limpos. E no caso da Hyundai, a empresa tem esperanças ambiciosas incomuns para o elemento mais abundante do universo como fonte de energia.

A montadora "está desenvolvendo agressivamente tecnologias com hidrogênio e aplicações de células de combustíveis para transportes residências e indústrias," disse Moñoz em uma apresentação no Los Angeles Auto Show, que ocorreu neste mês. "Nós imaginamos um futuro em que o hidrogênio é uma fonte de energia primária para todo mundo, todas as coisas, em todos os lugares."

Veículos movidos a células de combustível e movidos a bateria são ambos elétricos, compartilhando os mesmos motores e alguns outros componentes. A principal diferença é que as baterias armazenam eletricidade e as células de combustível a integram conforme necessário, em um processo eletroquímico que extrai elétrons do hidrogênio forçados através das membranas da célula de combustível. Além da eletricidade, o único subproduto é o vapor d?´água. Além de carros, caminhões e empilhadeiras, eles têm sido usados pela NASA por décadas, funcionam como geradores de eletricidade estacionários e estão sendo desenvolvidos para movimentar trens e até navios e balsas.

No entanto, os defensores do combustível ainda estão trabalhando para resolver grandes desafios. A tecnologia tem que superar os altos custos de pilhas e tanques de hidrogênio, que tornam os veículos mais caros do que os movidos a combustíveis ou baterias à base de carbono. Além disso, o suprimento de hidrogênio "verde" proveniente de fontes renováveis e água, ou proveniente de resíduos materiais, precisa se expandir dramaticamente para garantir a redução máxima de carbono. Em setembro, a Hyundai estimou que seu sistema de célula de combustível poderia atingir a paridade de custo com a energia da bateria em 2030.

No Los Angeles Auto Show, ao lado do novo hatchback loniq 5 da Hyundai, um concorrente de baixo preço do Modelo Y da Tesla que estará à venda no final deste ano, e o veículo Seven crossover movido a bateria que pode entrar em produção em 2024, a companhia também exibiu o seu SUV com célula de combustível Nexo, já disponível na Califórnia, e o semi-caminhão de célula de combustível Xcient que está vindo para o estado.

Califórnia é o principal mercado para carros de hidrogênio nos Estados Unidos, com 12,082 em operação a partir do dia 1º novembro, e um adicional de 48 ônibus de célula a combustível de hidrogênio, de acordo com a Parceria de Célula de Combustível da Califórnia. Existem também 47 estações públicas de hidrogênio em operação no estado, com 127 adicionais planejados. Por comparação, existe uma estimativa de 835,000 postos de carros elétricos no estado até o final de 2020 e ao menos 73,000 estações de carregamento de veículos elétricos.

Para facilitar aos consumidores possuir um veículo com célula de combustível, a Hyundai está tentando ajudar algumas de suas concessionárias a adicionar estações de hidrogênio, disse Moñoz. No sul da Califórnia, isso pode significar entre três e cinco novas estações.

"Nós estamos ajudando nossas revendedoras a implementar a infraestrutura de hidrogênio nos principais mercados onde há demanda por esses produtos," disse ele. "Também estamos juntando-se a um projeto com a Shell onde estamos co-desenvolvendo 50 estações até 2030, principalmente na Califórnia. Essa é a primeira fase"
Fonte: Forbes
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas