Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Com nova ameaça de geada, preços do açúcar iniciam a semana em alta
Publicado em 27/07/2021 às 08h01
Foto Notícia
Novas ameaças de geada para o final desta semana pressionaram as cotações do açúcar nas bolsas internacionais nesta segunda-feira (26). Houve valorização em todos os lotes do açúcar bruto (Nova York). Em Londres, o açúcar branco fechou misto.

Na ICE, de NY, os contratos com vencimento outubro/21 fecharam cotados em 18,42 centavos de dólar por libra-peso, alta de 25 pontos, ou 1,4% quando comparado aos preços da última sexta-feira. Já a tela março/22 foi contratada a 18,81 cts/lb, 22 pontos a mais do que a sessão anterior. Os demais contratos subiram entre 5 e 17 pontos.

Segundo a Reuters, operadores afirmaram que o mercado obteve apoio da onda de frio no Brasil, que também é um grande produtor de açúcar, embora a ameaça ao açúcar seja menor do que a do café.

"O fato de os preços do açúcar terem respondido de forma mais moderada (às geadas no Brasil) se deve à maior resistência às geadas da cana-de-açúcar em comparação com o café. Além disso, a colheita da safra deste ano está praticamente concluída nas áreas em questão", disse o Commerzbank em nota divulgada pela Reuters.

Açúcar branco

Em Londres o açúcar branco fechou misto nesta segunda. O vencimento outubro/21 foi contratado a US$ 456,40 a tonelada, desvalorização de 1,30 dólar. Já a tela dezembro/21 recuou 60 cents de dólar. Os demais lotes oscilaram entre desvalorização de 2,10 dólares e alta de 1,10 dólar.

Mercado doméstico

No mercado doméstico o açúcar cristal iniciou a semana, pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP, valorizado em 0,56%. A saca de 50 quilos foi negociada a R$ 117,61, contra R$ 116,96 a saca, praticado na sexta-feira.

Etanol hidratado

Após seis dias seguidos em queda o etanol hidratado voltou a subir ontem pelo Indicador Diário Paulínia. O metro cúbico do biocombustível foi negociado em R$ 2.975,50, contra R$ 2.954,00 o m³ praticado na sexta-feira, valorização de 0,73% no comparativo.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas