Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Mercado futuro do açúcar fecha em alta ainda sob pressão do impacto climático
Publicado em 22/07/2021 às 08h43
Foto Notícia
O mercado futuro do açúcar fechou a quarta-feira (21) em alta nas bolsas de Nova York (açúcar bruto) e Londres (açúcar branco), refletindo, ainda, a pressão exercida pelos fatores climáticos adversos no maior produtor mundial da commodity: o Brasil.

Em Nova York, na ICE, os contratos com vencimento outubro/21 fecharam cotados ontem a 17,67 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 26 pontos no comparativo com a véspera. Já a tela março/22 subiu 23 pontos, negociada em 18,09 cts/lb. As demais telas subiram entre 3 e 21 pontos.

Segundo a Reuters, embora as geadas também tenham atingido algumas áreas de cana-de-açúcar no Brasil, os comerciantes disseram que as áreas afetadas já foram colhidas e uma repetição das geadas nas mesmas áreas não poderia causar muitos danos.

"Ainda assim, o maior produtor de açúcar do Brasil já possui uma safra menor de cana este ano devido à seca e as geadas do mês passado que prejudicaram ainda mais a produção. Os operadores afirmaram que a redução da produção brasileira deve mais do que compensar as preocupações com a rápida disseminação da variante do coronavírus Delta, impulsionando os preços do açúcar", destacou a agência de notícias.

Açúcar branco

Em Londres o açúcar branco também fechou valorizado em todos os lotes. O vencimento outubro/21 foi contratado a US$ 450,40 a tonelada, valorização de 1,10 dólar. Já o lote dezembro/21 fechou cotado a US$ 463,10 a tonelada, 4 dólares a mais do que a véspera. Os demais contratos subiram entre 2,50 e 4,50 dólares.

Açúcar cristal

No mercado doméstico o açúcar cristal fechou a quarta-feira em alta pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada ontem a R$ 116,79, valorização de 0,21% no comparativo com os preços praticados na véspera.

Etanol hidratado

O etanol hidratado, todavia, registrou sua quarta desvalorização seguida pelo Indicador Diário Paulínia, caindo abaixo da faixa de R$ 3.000,00 o m³. Ontem, o biocombustível foi negociado a R$ 2.989,00 o m³, desvalorização de 0,43% no comparativo com os preços praticados na véspera.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas