Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Preços do milho recuam em novembro com aumento da oferta
Publicado em 01/12/2020 às 14h36
O mercado brasileiro de milho apresentou acomodação nos preços no mês de novembro, com quedas na maior parte das regiões. A oferta melhorou nas principais praças de comercialização, o produtor negociou mais, e as cotações reagiram para baixo a esse incremento na disponibilidade do cereal. Problemas climáticos para a safra de verão deram maior suporte aos preços no Sul.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, basicamente o motivo da retração nos valores veio da decisão de venda dos produtores. "Daqui para frente haverá uma necessidade de liberar espaço para a safra de soja. E os preços do milho são excelentes", comenta Iglesias.

As oscilações no dólar novamente mexeram com as cotações do milho nos portos ao longo do mês e influenciaram o mercado, assim como a Bolsa de Chicago para o cereal. O dólar comercial até este dia 26 caiu em novembro 7%, de R$ 5,739 para R$ 5,337. Em Chicago, o milho avançou em novembro, subindo até o dia 26 no contrato março 6%, compensando a queda do dólar.

Outro aspecto que seguiu como atenção no mercado foi o clima, com apreensão com falta de chuvas em muitas regiões e indicações de quebra de produção certa para o Sul do Brasil (Rio Grande do Sul e Santa Catarina). Isso deu sustentação às cotações ao longo de novembro, causando inclusive aumentos no RS e SC no balanço mensal.

No balanço de novembro, o preço do milho na base de compra no Porto de Santos caiu de R$ 78,50 para R$ 72,00 a saca, desvalorização de 8,3%.

Já no mercado disponível, o preço do milho em Campinas/CIF recuou em novembro, até o dia 26, de R$ 85,50 a saca de 60 quilos na base de venda para R$ 79,00 a saca, acumulando no mês queda de 7,6%. Na região Mogiana paulista, o cereal passou de R$ 83,00 para R$ 77,00 a saca no comparativo, desvalorizando no mês 7,2%.

Em Cascavel, no Paraná, no comparativo mensal, o preço baixou no mês de R$ 80,00 para R$ 77,00 aa saca na base de venda, baixa de 3,75%. Em Rondonópolis, Mato Grosso, a cotação caiu de R$ 75,00 para R$ 72,00 a saca, perda de 4,0%.

Já em Erechim, Rio Grande do Sul, houve alta de R$ 82,00 para R$ 88,00 no balanço mensal (+7,3%), refletindo a apreensão com a quebra na safra de verão.

Em Uberlândia, Minas Gerais, as cotações do milho permaneceram estáveis no comparativo, em R$ 75,00 a saca. Em Rio Verde, Goiás, o mercado passou de R$ 73,00 para R$ 72,00 a saca no comparativo de novembro (-1,4%).
Lessandro Carvalho
Fonte: Safras & Mercado
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.