Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Em meio a dados econômicos positivos, mercados internacionais têm manhã de alta
Publicado em 15/09/2020 às 10h02
As Bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 15, após indicadores chineses melhores do que o esperado mostrarem que a segunda maior economia do mundo continua se recuperando do impacto da pandemia de coronavírus.

Dados oficiais publicados durante a madrugada mostraram que a produção industrial chinesa teve expansão anual de 5,6% em agosto, maior do que acréscimo de 4,8% visto em julho e acima das expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 5,2%.

Além disso, as vendas no varejo da China tiveram o primeiro resultado positivo deste ano no mês passado, com avanço de 0,5% em relação a agosto de 2019. Neste caso, o consenso dos economistas era de aumento de 0,1%.

Já no setor imobiliário, as vendas de moradias na China tiveram expansão anual de 4,1% entre janeiro e agosto, mostrando forte aceleração ante o ganho de 0,4% acumulado até julho. Os investimentos em ativos fixos, por sua vez, diminuíram 0,3% nos primeiros oito meses de 2020 ante igual período do ano passado, vindo em linha com o esperado.


Bolsas da Ásia

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,51%, a 3.295,68 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,74%, a 2.205,36 pontos. Em outras partes da Ásia, o Hang Seng se valorizou 0,38% em Hong Kong nesta terça, a 24.732,76 pontos, o sul-coreano Kospi avançou 0,65% em Seul, a 2.443,58 pontos, em seu quarto pregão seguido de ganhos, e o Taiex registrou alta de 0,45% em Taiwan, a 12.845,65 pontos.

A exceção foi o mercado japonês, que ficou no vermelho com o fraco desempenho de ações de siderúrgicas e do setor de eletrônicos. O Nikkei caiu 0,44% em Tóquio, a 23.454,89 pontos. O banco central japonês (BoJ) anuncia decisão de política monetária nesta semana, mas não há expectativa de novas medidas.

Na Oceania, a Bolsa australiana encerrou a sessão em baixa marginal, após o BC da Austrália (RBA) sinalizar em ata que não terá pressa de relaxar ainda mais sua política monetária já bastante acomodatícia. O S&P/ASX recuou 0,08% em Sydney, a 5.894,80 pontos.


Bolsas da Europa

As Bolsas europeias ampliaram ganhos levemente após a divulgação do índice ZEW de expectativas econômicas da Alemanha, que teve uma alta inesperada em setembro. Às 6h07, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres avançava 0,72%, a de Paris subia 0,31% e a de Frankfurt se valorizava 0,14%.


Petróleo

Os contratos futuros do petróleo ampliaram perdas levemente após a Agência Internacional de Energia (AIE) piorar sua previsão de queda na demanda global pela commodity neste ano em 300 mil barris por dia (bpd), a 8,4 milhões de bpd. Ontem, a Opep apresentou o mesmo tom pessimista em seu documento mensal. Às 5h17 (de Brasília), o barril do petróleo WTI para outubro caía 0,24% na Nymex, a US$ 37,17, enquanto o do Brent para novembro recuava 0,25% na ICE, a US$ 39,51. Antes do relatório, o WTI e o Brent tinham baixas de 0,19% e 0,15%, respectivamente.
Sergio Caldas
Fonte: O Estado de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas