Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
USDA informa nova venda de soja para a China e Chicago testa leves altas nesta 5ª feira
Publicado em 06/08/2020 às 11h35
O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou uma nova venda de 126 mil toneladas de soja para a China nesta quinta-feira (6). O volume é todo da safra 2020/21. Todas as vendas feitas no mesmo dia, para o mesmo destino e com volume igual ou superior a 100 mil toneladas devem ser informadas ao departamento.

Este é o segundo anúncio da semana e as vendas norte-americanas para a China já somam 318 mil toneladas.

Assim, o mercado internacional da oleaginosa, que começou o dia com pequenas baixas, volta a operar do lado positivo da tabela, se apoiando também nos bons números reportados pelo USDA das vendas semanais para exportação. Da safra nova americana, foram mais de 1,4 milhão de toneladas.

Perto de 11h10 (horário de Brasília), as cotações subiam entre 1,25 e 4 pontos nos contratos mais negociados, com o agosto valendo US$ 8,86 e o novembro, US$ 8,80 por bushel.

Faltam motivos para o mercado engatar em novos ganhos consistentes, uma vez que a nova safra norte-americana deverá chegar maior do que o inicialmente esperado com uma demanda que ainda com tanta força. Principalmente para a soja 2020/21, as compras da China ainda estão bastante concentradas no Brasil.

"A ARC novamente ressalta que a boa qualidade da safra nos Estados Unidos e a falta de demanda pelo grão norte-americano continuarão definindo um mercado baixista para as cotações internacionais da soja e milho - mínimas contratuais para ambas commodities deverão ser registradas apenas em setembro/outubro", explicam os diretores da ARC Mercosul.

Da mesma forma, no Brasil, os preços continuam sendo sustentados pela relação apertada de oferta e demanda, com os prêmios, principalmente, testando os melhores níveis da temporada.
Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas