Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Maioria dos mercados internacionais apresenta alta, com sinais de recuperação de efeitos da pandemia
Publicado em 05/08/2020 às 09h49
A maior parte dos mercados internacionais apresenta alta nesta quarta-feira, 5, após sinalização de melhora dos indicadores econômicos após a crise gerada pela covid-19. A alta também sugere que investidores estão confiantes de que os EUA irão eventualmente aprovar um novo pacote de estímulos fiscais para combater os efeitos da pandemia de coronavírus, apesar de recentes entraves em negociações no Congresso americano.

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,17%, a 3.377,56 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,80%, a 2.318,92 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng se valorizou 0,62% em Hong Kong, a 25.102,54 pontos, o sul-coreano Kospi teve alta de 1,40% em Seul, a 2.311,86 pontos, atingindo o maior patamar em 22 meses, e o Taiex registrou ganho de 0,73% em Taiwan, a 12.802,30 pontos.

Exceção, a bolsa japonesa ficou no vermelho, pressionada por ações de empresas aéreas e de concessionárias de serviços públicos. O Nikkei recuou 0,26% em Tóquio, a 22.514,84 pontos.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse ontem que republicanos e democratas pretendem fechar um acordo sobre o próximo pacote fiscal até o final da semana, de forma que o assunto possa ser votado na semana que vem. Antes disso, Mnuchin afirmou que o governo americano está disposto a implementar medidas de estímulos fiscais por meio de decretos executivos, caso líderes do Congresso não consigam superar suas divergências sobre o pacote.

Com as atenções voltadas para os EUA, uma queda no índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços chinês ficou em segundo plano. O indicador caiu de 58,4 em julho - que foi o maior em quase uma década - para 54,1 em julho, mas permaneceu acima da barreira de 50 que indica expansão do setor.

Na Oceania, a bolsa australiana encerrou o pregão de hoje em baixa em meio ao pessimismo com a perspectiva econômica após a adoção de medidas de isolamento destinadas a conter a propagação da covid-19 em Melbourne, segunda maior cidade do país. O S&P/ASX 200 caiu 0,60% em Sydney, a 6.001,30 pontos.


Europa

As maiores bolsas europeias e o euro abriram em alta, mas reduziram ganhos após a divulgação de PMIs de serviços da Alemanha e da zona do euro, que vieram abaixo das expectativas. O indicador, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 48,5 em junho para 54,9. A estimatimativa preliminar de julho havia sido de 55,1.

As leituras acima da marca de 50 mostram que a atividade do bloco voltou a se expandir no último mês, começando a superar o violento impacto econômico da pandemia do novo coronavírus

Às 5h08 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,96%, a de Paris avançava 1% e a de Frankfurt tinha alta de 1,04%. No câmbio, o euro subia a US$ 1,1817, comparado a US$ 1,1825 antes do indicador alemão.


Petróleo

Os contratos futuros do petróleo operam em alta nesta quarta-feira, ampliando ganhos da sessão anterior, após o American Petroleum Institute (API) estimar no fim da tarde de terça que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA registrou queda de 8,6 milhões de barris na última semana. No fim da manhã, investidores vão ficar atentos à pesquisa oficial sobre estoques dos EUA, que é elaborada pelo Departamento de Energia (DoE) e inclui números sobre produção.

Às 4h27 (de Brasília), o barril do petróleo WTI para setembro avançava 0,41% na Nymex, a US$ 41,87, enquanto o do Brent para outubro subia 0,45% na ICE, a US$ 44,63. / COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES
Sergio Caldas
Fonte: O Estado de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas