Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Stonex eleva projeções de exportação e importação de soja pelo Brasil; vê safra recorde
Publicado em 04/08/2020 às 15h30
A exportação de soja do Brasil foi estimada em 81 milhões de toneladas em 2020, informou nesta terça-feira a consultoria Stonex, que elevou em 1 milhão de toneladas a projeção na comparação com avaliação divulgada em julho.

Com os embarques fortes do Brasil, a consultoria também aumentou em 500 mil toneladas a projeção de importação da oleaginosa pelo país neste ano, para 1 milhão de toneladas, volume este que deverá ajudar a indústria processadora a atender demandas por farelo e óleo de soja em meio a estoques apertados da matéria-prima nacional.

Já a safra de soja do Brasil 2020/21, que será semeada a partir de setembro, foi estimada em um recorde de 132,6 milhões de toneladas, afirmou a consultoria, em relatório divulgado à imprensa.

"Esse recorde é resultado de uma área plantada, em 38 milhões de hectares, e de uma recuperação da produtividade, após a forte quebra registrada pelo Rio Grande do Sul no ciclo 2019/20", disse a Stonex.

A consultoria estimou volumosas safras para os três maiores Estados produtores da oleaginosa: 35,6 milhões de toneladas (em Mato Grosso), 21,2 milhões de toneladas (Paraná) e 19,9 milhões de toneladas (Rio Grande do Sul).

Neste cenário, a expectativa é que o balanço de oferta e demanda da soja fique um pouco mais confortável em 2020/21.

"A demanda doméstica e as exportações foram estimadas em 49 e 82 milhões de toneladas, respectivamente", informou a StoneX, com os estoques finais projetados em 2,47 milhões de toneladas.

Para 2020, os estoques finais estão projetados em 0,65 milhão de toneladas.

MILHO
O plantio da primeira safra de milho 2020/21 no Brasil deve alcançar 4,16 milhões de hectares, queda em relação aos 4,21 milhões de hectares registrados na temporada anterior.

A produtividade estimada pela StoneX aponta aumento de 6,21 toneladas por hectare para 6,66 toneladas por hectare.

Desta forma, apesar do recuo na semeadura, a produção do cereal foi projetada em 27,7 milhões de toneladas, um avanço ante os 26,16 milhões colhidos em 2019/20.

PUBLICIDADE


A consultoria disse também que, apesar de a produção total de milho poder variar bastante, uma vez que ainda não há estimativas para a segunda safra 2020/21, o patamar de 100 milhões de toneladas tem grande potencial de continuar sendo superado.

"Esse aumento da produção foi condicionado pelo registro de rendimentos acima do esperado, à medida que a colheita da safrinha atual avança, levando a uma perspectiva de produção recorde no inverno, em 73,3 milhões de toneladas", afirmou.

Inicialmente, a produção total de milho 2020/21 está estimada em 102,44 milhões se toneladas, segundo a StoneX, ante 100,9 milhões registrados no ciclo anterior.
Roberto Samora e Nayara Figueiredo
Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.