UDOP - União Nacional da Bioenergia

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Energia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Governo Bolsonaro defende fim do subsídio para energia solar  

23/10/2019 - A Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura (SDI) do Ministério da Economia editou uma apresentação em que defende a proposta de ajuste regulatório para geração distribuída apresentada pela Aneel na semana passada e que está em consulta pública até o dia 2 de dezembro.

A avaliação é que os subsídios atuais, como incentivos à a mini e micro geração distribuída (MMGD), somam R$ 34 bilhões até 2035, e seriam suficientes para construir nada menos que 9 mil creches e pré escolas. O documento defende a proposta de alteração da Aneel e diz que o governo não está querendo "taxar o sol", ,mas sim reduzir os encargos que o cidadão comum pagaria e que seriam transferido a um grupo de interesse que luta para manter subsídios.

"Esta frase de efeito, cunhada por aqueles que perderão os R$ 34 bilhões em subsídios, esconde que, na verdade, as alterações reduzem os encargos, e não aumentam", diz a apresentação.

Na semana passada, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), criticou a proposta de alteração da Resolução Normativa nº 482/2012. Para a associação, a mudança pode provocar um retrocesso no setor e reduzir em mais de 60% a economia promovida por pequenos projetos de geração distribuída.

O documento do Ministério da Economia frisa que a nova regulamentação sugerida propõe um período de transição que a pasta considera "bastante longo", garantindo que consumidores que já têm o sistema de micro ou mini geração distribuída instalado seguirão com o atual modelo de compensação até 2030.

A mudança nos valores ocorrerá apenas para os novos entrantes no sistema a partir de 2020. O novo proprietário de sistemas de MMGD passará a pagar transporte (TUSD A e B) pela energia que consumir da rede, mas as outras parcelas de tarifa -- referentes a perdas no transporte, encargos do transporte da energia e a tarifa sobre a energia -- incidirão sobre a diferença entre a energia consumida e a injetada na rede.

Apenas quando atingir a potência de 4,7 GW a regra muda. A partir desse ponto, os novos entrantes passam a pagar por todas as parcelas da tarifa pela energia consumida da rede.

O documento da Economia defende ainda que a alteração não exclui todos os subsídios do mercado de geração distribuída por não precificar a energia de acordo com o horário. E, para ser inteiramente justo com o consumidor final, seria necessário precificar o fornecimento de energia levando em conta o consumo no horário de pico ou fora de pico.

O Ministério da Economia defende que o mercado de geração distribuída é o futuro da geração de energia, mas não carece de subsídios e, ao contrário, ocupará mais espaço no mercado por mérito próprio.

22/10/19
Guilherme Serodio
Fonte: epbr
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
22/11/19 - Custo da energia solar será 60% menor até 2050, diz estudo
18/11/19 - Subsídio a painéis solares chegará a R$ 1 bi em 2 anos
13/11/19 - Geração de energia eólica e solar bate novo recorde no Nordeste, diz ONS
24/10/19 - Colômbia quer multiplicar por 40 a capacidade de energia limpa; eólica e solar na mira
23/10/19 - Setor de energia solar busca políticos e advogados contra proposta da Aneel
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Governo Bolsonaro defende fim do subsídio para energia solar
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: