UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Combustíveis Fósseis Aumentar a letra    Diminuir a letra
Importações de petróleo da China recuam em maio após recorde em abril  

10/06/2019 - As importações de petróleo da China caíram 8% em maio ante uma máxima histórica no mês anterior, mostraram dados de alfândegas, com o principal importador global da commodity restringindo compras do Irã em meio a sanções dos Estados Unidos contra o país.

As importações chinesas caíram para 40,23 milhões de toneladas em maio, contra 43,73 milhões em abril, segundo dados da Administração Geral de Alfândegas.

Isso representa 9,47 milhões de barris por dia (bpd), queda de 11% frente a abril, que teve um dia a mais, segundo cálculos da Reuters, com pressão de menores importações do Irã e com muitas refinarias estatais paradas para manutenção.

"A principal razão para a queda nas importações chinesas é que as importações do Irã caíram fortemente em maio", disse o analista Seng Yick Tee, da consultoria SIA Energy, em Pequim.

Com a redução nas importações junto ao Irã a partir de maio, a China ampliou compras de outros fornecedores do Oriente Médio, como Arábia Saudita, Iraque e Emirados Árabes Unidos, além do Brasil.

No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, as importações da China somaram um total de 205 milhões de toneladas, alta de 7,6% ante mesmo período do ano passado.

As importações de gás ficaram em 7,56 milhões de toneladas em maio, alta de 3,6% na comparação com mesmo mês do ano passado, mas levemente abaixo das 7,65 milhões de toneladas em abril.

Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
19/09/19 - Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e do diesel em 4,2%
  - Preços do petróleo ampliam perdas após promessa da Arábia Saudita de restaurar produção
  - O preço dos combustíveis no Brasil na comparação internacional
18/09/19 - IEA não vê necessidade de liberar estoques emergenciais de petróleo
  - Mesmo com alta do petróleo, BC deve baixar juro para novo piso histórico, apostam economistas
  - Preços do petróleo caem 6% após ministro saudita apontar para recuperação da produção
  - ANP reforça fiscalização para apurar abuso de preços nos postos de gasolina de Brasília
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Importações de petróleo da China recuam em maio após recorde em abril
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: