UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Dólar abre além de R$ 4 pelo 3º dia com cautela local e de olho em EUA e China  

17/05/2019 - O dólar iniciou a sessão desta sexta-feira, 17, acima de R$ 4,00 pelo terceiro dia seguido. "Preocupação com a governabilidade e a reforma da Previdência pela falta de articulação política do governo Bolsonaro e a proximidade do fim do primeiro semestre sem que nada importante de fato tenha sido entregue. Falta comunicação saudável e discurso coeso no governo, sem isso, qual o interesse do investidor em trazer dinheiro para cá, não há", diz Italo Abucater, gerente de câmbio da Tullet Prebon Brasil.

Abucater lembra que esta sexta é o famigerado 17 de maio. Nesse dia em 2018 começou a greve de caminhoneiros e o Copom decidiu pela manutenção da taxa Selic em 6,5% ao ano, em vez de corte da como o mercado projetava, e, em 17 de maio de 2017, o dono do frigorífico JBS, Wesley Batista, gravou o ex-presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha na Operação Lava Jato e entregou o áudio em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Agora, diz o profissional, a "cereja do bolo" são os três filhos de Jair Bolsonaro. "O presidente questiona a imprensa, diz que tudo é conspiração, sem colocar imparcialidade que um governante deve ter e gera desconforto e fuga do investidor", observa. Ele acrescenta que o ambiente externo está nervoso e não há atrativo de prêmio na Selic, não tem investimento direto e a economia está fraca com desemprego alto. "Não entregou (governo) nada para a segurança e há muito ruído familiar e político", afirma.

O operador Luis Felipe Laudísio dos Santos acrescenta que o dólar ante o real se valoriza em linha com a alta externa da moeda americana frente suas pares principais e a maioria das divisas de países emergentes exportadores de commodities, com a China endurecendo o discurso contra os EUA. Assim, devemos ter mais um dia difícil para o real e os investidores de certa forma aguardam alguma sinalização do Banco Central, que poderia ajudar a suavizar o movimento de alta.

Às 9h37 desta sexta, o dólar à vista subia 0,66%, a R$ 4,0623. O dólar futuro para junho estava em alta de 0,31%, aos R$ 4,0685.

Fonte: Estadão Conteúdo
Texto extraído da revista Isto É
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
19/09/19 - Soja opera do lado positivo da tabela em Chicago, mas ainda com estabilidade nesta 5ª
  - Cotações ganham força e milho se valoriza em Chicago nesta quinta-feira
  - USDA: Vendas semanais para exportação de soja dos EUA ficam bem acima das expectativas
  - Dólar supera R$4,13 e bate máxima em duas semanas após BC sinalizar novo corte da Selic
  - Milho/USDA: exportadores vendem 1,46 milhão de t da safra 2019/20 na semana
17/09/19 - Na véspera, o dólar fechou em alta de 0,05%, a R$ 4,0892.
12/09/19 - Dólar cai com menor aversão ao risco no exterior e disputa comercial no radar
  - Dólar opera em queda após adiamento de tarifas dos EUA sobre China
11/09/19 - Dólar opera em queda com resultado do varejo acima do esperado
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Dólar abre além de R$ 4 pelo 3º dia com cautela local e de olho em EUA e China
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: