UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Combustíveis Fósseis Aumentar a letra    Diminuir a letra
Petróleo fecha em queda diante de temores com relações EUA-China  

13/05/2019 - Os contratos futuros de petróleo encerraram a sessão desta segunda-feira, 13, em baixa e abandonaram os ganhos vistos no início do dia, quando foi informado que dois navios-tanque que transportavam petróleo saudita foram atacados. As renovadas tensões comerciais entre Estados Unidos e China voltaram a afetar os preços do óleo, que terminaram o dia no negativo.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do WTI para entrega em junho recuou 1,00%, para US$ 61,04 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do Brent para julho fechou em queda de 0,55%, para US$ 70,23.

Os ganhos iniciais do petróleo devido a ataques a petroleiros sauditas foram completamente revertidos no início da tarde.

"Sem mais evidências ou detalhes sobre os navios sauditas e sem armas de fogo, a narrativa retornou ao impasse comercial sino-americano", disse o estrategista-chefe de energia da Macro Risk Advisors, Chris Kettenmann. "Basicamente, o que começou como uma história geopolítica para os mercados de petróleo nesta manhã agora alcançou as vendas nos mercados."

Nas últimas três semanas, os futuros de petróleo recuaram, mas se recuperara rapidamente nesta segunda-feira depois que dois petroleiros sauditas foram sabotados em um ataque no fim de semana perto do Estreito de Ormuz.

As tensões militares no Golfo Pérsico vêm depois que os EUA intensificaram suas sanções contra o Irã e disseram que estavam enviando um porta-aviões para a região.

"Acreditamos que esse evento no Golfo Pérsico forçará o complexo petrolífero a manter um elemento de risco geológico de cerca de US$ 1 bilhão a US$ 2 bilhões", disse o presidente da Ritterbusch & Associates, Jim Ritterbusch.

Para ele, contudo, o incidente e seu impacto sobre os preços podem dar aos sauditas ainda mais motivos para aumentar a produção, algo que Washington pede para amenizar os preços da gasolina ao consumidor americano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte: Istoé Dinheiro
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
19/09/19 - Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e do diesel em 4,2%
  - Preços do petróleo ampliam perdas após promessa da Arábia Saudita de restaurar produção
18/09/19 - IEA não vê necessidade de liberar estoques emergenciais de petróleo
  - Mesmo com alta do petróleo, BC deve baixar juro para novo piso histórico, apostam economistas
  - Preços do petróleo caem 6% após ministro saudita apontar para recuperação da produção
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Petróleo fecha em queda diante de temores com relações EUA-China
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: