Quarta-feira, 26 de setembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Combustíveis Fósseis Aumentar a letra    Diminuir a letra
As pressões sobre o mercado do petróleo  

06/07/2018 - Não é só no Brasil que os políticos torcem e agem pela redução dos preços dos combustíveis. Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump reitera declarações de que os preços da gasolina têm de baixar. E no último encontro dos dirigentes do cartel da Opep, em junho, a Arábia Saudita e a Rússia, grandes exportadores, avisaram que aumentariam a oferta para derrubar as cotações.

No entanto, as cotações seguem altas e podem aumentar ainda mais. No primeiro semestre, as cotações do petróleo tipo Brent (produzido no Mar do Norte) subiram 20,3% para US$ 77,39 por barril de 159 litros, e as do West Texas Intermediate (Golfo do México) subiram 23,4% para US$ 72,94.

Um punhado de fatores atua para manter os preços nesse patamar ou, como vêm predizendo especialistas, até para puxar para acima dos US$ 80.

Apesar das pressões de Trump pela baixa, a política que ele vem adotando em relação ao Irã produz efeito contrário. Se a denúncia do acordo nuclear entre Estados Unidos e Irã tem mesmo de prevalecer, é inevitável que volte o boicote às exportações do Irã ao resto do mundo. E entre elas estão 2 milhões de barris diários de petróleo, o equivalente a 2% da demanda mundial.

A economia da Venezuela, outro membro da Opep, está na lona já conhecida. A oferta histórica de 1,4 milhão de barris diários está reduzida à metade, sem perspectiva de reativação. A Líbia, outro fornecedor de peso, não consegue mais exportar seus 850 mil barris diários, pois vive forte crise política interna.

O projeto da Opep é aumentar a oferta em 1 milhão de barris diários, 1% do total. Mas Arábia Saudita e Rússia não têm dado conta de compensar a quebra de produção dos outros membros da Opep.

Enquanto isso, em parte graças à forte recuperação da economia mundial, os estoques mundiais estão mais baixos e qualquer adversidade fora das previsões pode mexer com o mercado. Os Estados Unidos poderiam aumentar mais rapidamente a produção, especialmente do óleo de xisto. No entanto, aproxima-se a estação dos furacões, que ameaçam a produção do Golfo do México, e isso acrescenta tensão nos mercados.

Do ponto de vista da economia do Brasil, o relativo desequilíbrio entre oferta e procura produz dois efeitos que se contrapõem. A alta de preços dos combustíveis tende a reativar as mesmas pressões que produziram a greve dos caminhoneiros em maio. Se isso acontecer às vésperas das eleições, a temperatura política inevitavelmente aumentará.

Por outro lado, o governo federal prepara-se para realizar o megaleilão de áreas do pré-sal, correspondentes ao excedente da cessão onerosa da Petrobrás. Preços altos do petróleo tendem a aumentar a competição por direitos de exploração desses 15 bilhões de barris recuperáveis e, com isso, garantir R$ 80 bilhões em receitas com prêmios de assinatura. Como se trata de área já suficientemente prospectada, esse leilão tende a antecipar investimentos e, assim, a ajudar o Rio a afugentar o desemprego e a crise fiscal aguda. Mas, para isso, o governo não pode perder a agenda.

05/07/18
Fonte: O Estado de São Paulo
Texto extraído do portal SCA

Fonte: O Estado de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
As pressões sobre o mercado do petróleo
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/