Segunda-feira, 17 de dezembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Nova safra, desafios antigos  

11/05/2018 - A safra brasileira de cana-de-açúcar 2018/19 já começou. Assim, como em todo início de safra, há muita expectativa em torno do que vivenciaremos em termos de preços, produção de açúcar e etanol e rentabilidade. Apesar das incertezas, as primeiras estimativas indicam que alguns desafios do passado permanecem e, com isso, é necessário avaliar com atenção para traçar as estratégias corretas do novo ciclo.

A moagem de cana da região Centro-Sul deve ser de 577 milhões de toneladas, menor volume das últimas cinco safras, segundo a Datagro. A expectativa de uma safra menor se deve ao envelhecimento dos canaviais, à estagnação de produtividade e à redução da área de cultivo.

No estado de São Paulo, principal produtor brasileiro de cana-de-açúcar, a redução da área é consequência da devolução de terras arrendadas e da rescisão de contratos com fornecedores que produzem em locais distantes das unidades industriais e/ou com baixa produtividade. A redução da quantidade de produtores, mantendo os mais eficientes, por sua vez, é resultado da queda na rentabilidade do setor na safra 2017/18, decorrente do aumento nos custos de produção e do baixo preço do açúcar. Em março deste ano, o açúcar cristal, por exemplo, teve a menor média mensal do preço do indicador Cepea/Esalq em termos reais dos últimos 10 anos.

A expectativa é que os preços do açúcar na safra 2018/19 mantenham essa tendência de baixa. Há consenso de que vivenciaremos, novamente, uma temporada de superávit global de açúcar. Segundo a Associação das Usinas de Açúcar da Índia, as chuvas em novembro e dezembro de 2017 ajudaram a recuperar a produtividade dos canaviais do país, elevando a oferta mundial da commodity. Na Tailândia, os níveis de produção esperados são recordes. Com a ampla oferta e preços baixos, a Datagro estima que a produção brasileira de açúcar deve cair pelo menos 5 milhões de toneladas na safra 2018/19. Isso pode tornar o mix brasileiro do açúcar o menor dos últimos anos.

No caso do etanol, a INTL FCStone estima a produção total de 27,1 bilhões de litros, sendo 16,4 bilhões de litros de etanol hidratado e 10,7 bilhões litros de anidro, aumento de 7,2% e 2,2%, respectivamente. O aumento da produção de etanol deve ser fruto do mix mais alcooleiro e da maior demanda do mercado nacional, que vem sendo estimulada pelo aquecimento da economia e pela diferença maior entre a alíquota de PIS/Cofins do etanol em comparação com a gasolina.

Mesmo sabendo que a oferta e a demanda interna estão aquecidas, ainda há incerteza sobre o comportamento dos preços do biocombustível no Brasil. Variáveis como o preço do petróleo e o preço do etanol de milho dos Estados Unidos devem ser consideradas. Se o preço do petróleo continuar nos atuais patamares e o etanol de milho dos Estados Unidos não inundar o nosso mercado, o setor poderá recuperar parte da rentabilidade perdida com o preço baixo do açúcar.

Em períodos como este, nos quais enfrentamos desafios em relação aos preços, margens e consequente endividamento, é fundamental traçar estratégias focadas no planejamento financeiro e tributário para gerir os custos, aproveitar os incentivos fiscais e melhorar a produtividade.

A gestão é essencial em qualquer negócio e se torna um imperativo nos momentos mais desafiadores. Para o setor sucroenergético, será vital para virar a página, superar esses obstáculos e aproveitar as oportunidades que estão por vir, sobretudo, em virtude do RenovaBio, programa que promete trazer inovação e dar novos direcionamentos para o setor.

Ana Malvestio e João Gambardella
Sócia da PwC Brasil e líder de Agribusiness e Especialista de agribusiness da PwC Brasil, respectivamente
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
17/12/18 - Contratos futuros do açúcar fecham em baixa NY e Londres
  - Na COP24, setor de biocombustíveis propõe maior mistura de etanol
  - Etanol: hidratado sobe 0,29% e anidro avança 0,11% nas usinas
  - IPC-S cai 0,03% na 2ª quadrissemana de dezembro, afirma FGV
  - Agronegócio: Manutenção de mercado com a China deve ser ponto de atenção do próximo governo
  - Etanol: hidratado sobe 0,29% e anidro valoriza 0,11% na semana
14/12/18 - Brasil terá apoio de outros produtores em disputa com a Índia
  - Brasil só tem a ganhar com Acordo de Paris, defende grupo de ruralistas e ambientalistas
  - "Venda direta de etanol não é favorável ao Brasil", diz Ex-Ministro Maílson da Nóbrega
  - Juros passam a cair com desaceleração do dólar e leitura de Selic estável
  - Seis municípios concentravam 25% do PIB do Brasil em 2016
  - Brasil está pronto para eventual retirada de taxa chinesa à soja dos EUA, diz Maggi
  - NY resiste a usar a alta do petróleo sobre o açúcar e se mantém no superávit global e indiano, em
  particular
  - Cotações do açúcar fecham mistas nas bolsas internacionais
  - Importação de etanol cresceu em novembro
13/12/18 - Feplana defende RenovaBio e Acordo de Paris a Mourão e a ministros de Bolsonaro
  - Por eficiência no RenovaBio dos etanóis, da cana será mais líder no 2G, com o de milho importado
  dobrando o CO2 do feito aqui
  - Açúcar: Brasil vai à OMC questionar subsídios da Índia
12/12/18 - São Martinho e Cosan anunciam cisão das operações da Usina Santa Luiza
  - No MS, chuva dá trégua e usinas aceleram ritmo de moagem na última quinzena de novembro
11/12/18 - Chuva dá trégua e usinas aceleram ritmo de moagem na última quinzena de novembro
04/12/18 - RenovaBio: Entenda quais são os próximos passos após os critérios de certificação
27/11/18 - RenovaBio: DOU publica resolução de certificadoras
26/11/18 - ANP aprova resolução de certificadoras do RenovaBio
22/10/18 - Desembolso para programa de renovação de canaviais despenca, mas BNDES vê melhora
28/06/18 - Governo construirá trincheiras no acesso a usinas sucroalcooleiras
26/06/18 - Queimada controlada, doenças e pregas
24/05/18 - Geada continua afetando algumas áreas produtoras
21/05/18 - O lado escuro do superávit
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Nova safra, desafios antigos
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/