Segunda-feira, 17 de dezembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
3 anos de trabalho e alegrias  

05/04/2018 - Encerro minha atuação à frente da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Quero agradecer ao governador Geraldo Alckmin, que me confiou esta missão tão importante e gratificante. Quero agradecer também às produtoras e aos produtores rurais, que me apoiaram durante estes três anos.

Festejar que as quatro diretrizes que estabelecemos foram cumpridas com afinco e colaboração de toda a equipe da Secretaria. Nossa primeira diretriz foi mostrar que a agricultura é compatível com o meio ambiente, comprovada por iniciativas que unem preservação e produção como, dentre tantas outras, o Projeto Nascentes em Holambra e em Botucatu/Pardinho.

Ou ainda nas estradas rurais readequadas pela nossa Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp) com o Programa Melhor Caminho/Pontos Críticos. Obras que não apenas melhoram o escoamento da produção e o transporte, mas reservam água, evitam assoreamento e garantem mais produtividade ao agricultor que tem sua propriedade à beira da via.

Em três anos de gestão, atendemos 136 municípios com as obras, em um investimento que supera os R$ 116 milhões. Além disso, conseguimos fazer com que o banco Mundial autorizasse o uso de verbas do Programa Microbacias II também para readequação de estradas: já são 132 convênios firmados.

Também fomentamos a produção agroecológica assinando com a Secretaria do Meio Ambiente um protocolo para auxiliar o produtor que quer seguir o caminho da produção orgânica.

Nossa segunda diretriz foi mostrar que todos devem ser apoiados, mas particularmente o pequeno agricultor e a agricultura familiar - que merecem mais atenção do Estado. Com o Microbacias II, 267 projetos foram ou estão sendo executados, gerando renda e agregando valor à produção de 248 associações e cooperativas paulistas, mudando a vida de 10.475 produtores rurais.

Recurso que serviu ainda para a reforma de 74 Casas da Agricultura, pontos de encontro dos nossos amigos produtores, com investimento de R$ 11 milhões. E tivemos ainda a autorização do governador Geraldo Alckmin para a reforma de outras 64. Um sucesso que criou condições para que venha o Microbacias III.

Desenvolvemos um site especialmente para quem quer participar das compras públicas; lançamos o Plano Mais Leite, Mais Renda para auxiliar a pecuária das pequenas propriedades e dos agricultores familiares; treinamos 1.268 produtores entre 2016 e 2017 com o Programa de Sanidade em Agricultura Familiar (Prosaf); para citar alguns exemplos.

Nossa terceira diretriz era aproximar da produção no campo o conhecimento gerado em nossos institutos de pesquisa, atendendo as demandas do cotidiano do produtor. Fazer com que as agruras do homem do campo orientem os trabalhos dos pesquisadores em busca de soluções para elas.

Fomentamos essa pesquisa com uma nova dinâmica de funcionamento garantida pela criação dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs). Eles oferecem melhores condições para que os institutos de pesquisa da Secretaria firmem parcerias com a iniciativa privada, unindo esforços pela produção agrícola. Também permitem que os nossos pesquisadores passem a participar dos lucros das descobertas que fazem.

Tecnologias e inovações que reunimos em um só lugar durante dois dias em março, no Agrifutura, em São Paulo, unindo empresas consolidadas no mercado e startups. Promovendo ainda um hackaton com 12 times de cinco programadores, makers, técnicos, marqueteiros, empreendedores e engenheiros resolvendo os desafios tecnológicos lançados pelos próprios agricultores diante de suas necessidades.

A nossa quarta diretriz de atuação foi exatamente a alimentação saudável. Não apenas produzir alimentos, mas alimentos com saudabilidade, cuidando sempre para evitar o uso indiscriminado de agroquímicos. Uma preocupação demonstrada com os mais de 48 mil técnicos treinados pelo Programa Aplique Bem, orientando sobre a aplicação correta, e sem riscos, destes produtos nas culturas.

Também fomentamos o trabalho do laboratório de análise de alimentos, que verifica os defensivos utilizados em cada cultura. Um trabalho que chamou a atenção de empresas privadas e do Ceasa de Campinas, onde analisamos os produtos consumidos pela população.

Mostramos que estamos conectados à atualidade utilizando as redes sociais como Twitter, Facebook e YouTube para divulgar dicas de alimentação saudável, informações nutricionais, campanhas de orientação sobre os perigos do consumo de sódio e receitas que alimentam, evitam o desperdício e podem ser feitas para gerar renda ao se transformarem em quitutes a serem comercializados.

Foram três anos de muito trabalho e dedicação, nos quais contei com o apoio desta equipe talentosa que compõe a Secretaria de Agricultura. Aprendi muito sobre agricultura e pecuária, mas ainda mais sobre respeito, compromisso, seriedade e trabalho - marcas registradas do nosso amigo produtor rural.

Vamos em frente porque ainda há muito o que fazer pelo nosso agricultor e pelo nosso País!

Arnaldo Jardim
Secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e deputado federal
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
17/12/18 - Agronegócio: Manutenção de mercado com a China deve ser ponto de atenção do próximo governo
  - Negociações sobre clima passam o bastão da corrida contra aquecimento global
  - Plantio de soja atinge 68,8% da área na Argentina, diz Bolsa
  - Com boas chuvas, clima favorece safra de verão no Brasil
14/12/18 - Brasil está pronto para eventual retirada de taxa chinesa à soja dos EUA, diz Maggi
  - Seis municípios concentravam 25% do PIB do Brasil em 2016
  - Juros passam a cair com desaceleração do dólar e leitura de Selic estável
  - Superávit da balança comercial em 2019 deve ser 38% maior que em 2018
  - Rompimento comercial com árabes e China prejudicará o agronegócio
  - Chuvas indicam alívio para lavouras de soja ressecadas do Paraná
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
3 anos de trabalho e alegrias
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/