Terça-feira, 24 de abril de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Combustíveis Fósseis Aumentar a letra    Diminuir a letra
Petróleo encosta nos US$ 70 e retorna ao nível de 2015  

11/01/2018 - O petróleo Brent atingiu nesta quarta (10) sua mais alta cotação em quase três anos, com a entrada em vigor de cortes de produção decretados pela Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), a queda nos estoques mundiais e a alta nas tensões geopolíticas, que, juntas, mais que compensaram as preocupações quanto à alta na produção de petróleo de xisto betuminoso nos EUA.

O Brent chegou a ser cotado US$ 69,37 por barril, mais alta cotação desde 2015, e ficou perto de preços vistos pela última vez em 2014, antes do colapso dos preços da commodity.

"Estamos em um ambiente no qual os produtores da Opep e a Rússia reduziram sua oferta e os estoques caíram. Ao mesmo tempo, as questões geopolíticas preocupam", disse Olivier Jakob, da consultoria Petromatrix.

Ele apontou para a possibilidade de que os EUA voltem a impor sanções ao Irã, depois de suspenderem sua aplicação desde a assinatura do acordo nuclear.

Analistas, como Carsten Fritsch, do Commerzbank, disseram que as altas recentes de preços não se alinham aos fundamentos do mercado e acarretam o risco de "supercompensação". Mas outros disseram que a queda do dólar e os números fortes do crescimento mundial, que podem gerar demanda superior à esperada, também ajudaram na alta de preços.

Dados do governo americano sobre os estoques de petróleo, publicados nesta quarta-feira, mostram queda superior à esperada, de 4,9 milhões de barris de petróleo cru, nos estoques da semana encerrada em 5 de janeiro, que ficaram em 419,5 milhões de barris. Dados do Instituto Americano do Petróleo publicados esta semana apontam para redução de estoque ainda maior, da ordem de 11 milhões de barris.

O petróleo WTI, referência nos Estados Unidos, foi cotado a US$ 63,31 por barril.

Alguns países da Opep cujas economias sofreram nos últimos anos receberam positivamente a alta nos preços, que se acelerou desde que o cartel e seus aliados prorrogaram até o final de 2018 seu acordo de corte de produção. O Brent subiu em quase 10% do final de novembro para cá.

Mas continua a existir preocupação sobre o nível de produção de petróleo de xisto betuminoso pelos EUA. Isso solaparia os esforços dos produtores mundiais para restringir a produção e reduzir os estoques internacionais.

Bijan Zanganeh, ministro do Petróleo iraniano, disse que alguns membros da Opep não desejavam alta de preço, especialmente para mais de US$ 60 por barril, porque isso ajudaria o setor de petróleo de xisto betuminoso.

*Com tradução de Paulo Migliacci.

Fonte: Financial Times
Texto extraído do portal Folha de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
23/04/18 - Dólar sobe 1,2% e vai a R$3,45, maior patamar desde final de 2016, com cena externa
  - EUA: Embarques semanais de milho alcançam 1,7 milhão de toneladas
  - Soja: Com nova realização de lucros, mercado volta a recuar em Chicago na tarde desta 2ª
  - Produção de petróleo da Petrobras cai em março pelo 6º mês seguido
  - Petrobras inicia produção em Búzios, 1º campo da cessão onerosa a operar
  - Produção de petróleo cai 0,8% e fecha março com 2,07 milhões bpd, afirma Petrobras
  - Indústria naval do Brasil aguarda MP de apoio à Marinha para tomar fôlego
  - Produção de petróleo da Petrobras no Brasil cai 0,8% em março ante fevereiro
  - Gasolina sobe em 16 estados; preço tem alta de 0,17% na média brasileira
  - Emirados Árabes dizem que produtores de petróleo estão comprometidos com cortes
  - Produção local de petróleo pela Petrobras em março foi de 2,07 mi de barris/dia
  - Petrobras inicia produção do campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Petróleo encosta nos US$ 70 e retorna ao nível de 2015
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/